domingo, 26 de abril de 2015



Gritos

Só a melodia fala comigo
Sei que só eu posso ouvi la
Notas passadas,como contas em rosário que não contei
De dentro pra fora,me fala auto
Me arrepio, e sem perceber estou dançando
A paixão ficou presa num filtro
Coador do tempo
O amor agora limpo, verdadeiro
Parece não ter sabor
Danço sozinho, musica pra dois dançar
O que a melodia me fala
não consigo expressar
É que no coador do tempo,filtrou a cor
E o amor
Sem um pouco de dor
Inodoro,e cheio de razão
Dança sozinho como eu

Sidney caetano filho

sexta-feira, 27 de março de 2015


Quadro negro
Colorido em puro branco
Ousadia!

Sair da segurança.
Chorar e sorrir.
Descolorir o todo perfeito.
Sujar de vermelho sangue o lençol.
Desvirginar.
Alegria!
Sorrir

Ir embora
Colarinho vermelho batom
Amor escrito a unhas no pescoço
Arrependimento tatuado na alma.
Chorar!

Sidney caetano filho

segunda-feira, 16 de março de 2015

Troca


A quem pertenço?
Sombras ou sobras, pra quem?

Sou dono de quem?
Sobras ou sombras de quem?

O que me pertence?
Suas mãos ?
Seus pensamentos?
Seu coração?
Sombras ou sobras, de que?

O que daria?
Minhas mãos,ou todo meu corpo?
Minha alma, ou toda minha vida?
Sombras ou sobras,de que?
O que ainda tenho?
Tome!

O que tens?
Sombras ou sobras de que?
Aceito!


Sidney caetano filho

sábado, 7 de fevereiro de 2015

É só saudade
Que vazio ilumina me ?
Dançar,e em imaginação voar
É só saudade
Que vago imagino, ilumina me
Voar dançando no vazio
E sem asas pra voar, imagino
É só saudade
Sidney?
Hoje não!
É só um vago na
imaginação
Um vazio de luz
E saudade de dançar.

Zero glota