sábado, 3 de janeiro de 2009

Felicidade

Felicidade


A felicidade de Maria ninguém pode apagar,vinte anos de amor correspondido.
Flores e beijos constante,passeios românticos que não deixaram de existir
depois dos seis filhos,amor palavra constante e sentida.
A cada parto a emoção compartilhada,e as tarefas também.
Se a felicidade é verdadeira,ninguém pode apagar a felicidade de Maria.
Ninguém pode apagar a felicidade de Teresa,felicidade que a espera
do marido,explodia com sua chegada,ninguém pode apagar a felicidade de Teresa.
Flores e bom bons na chegada,carinhos e caricias e a presença sentida mesmo
na ausência,com a lembrança de tanto amor recebido,ninguém pode apagar
a felicidade de Teresa. Como o amor pode ser tão grande assim?
Só João pode dizer,a felicidade de João ninguém pode apagar,pensamentos e preocupações no mesmo peso,dedicação na mesma medida,
ninguém pode apagar a felicidade de João.
Nem mesmo a tristeza de descobrir Teresa,pode apagar o passado feliz
de Maria,tão pouco se imaginar traída por João pode apagar a outrora
felicidade de Teresa.
Nem mesmo abandonando João; Maria ou Teresa teriam como apagar
a felicidade que João a elas por tanto tempo proporcionou.
Nem a tristeza que se faz presente,nem o desespero de ver acabar um relacionamento,onde seu amor era verdadeiramente correspondido,
pode apagar a felicidade de João,que até então viveu verdadeiramente,
ainda que não possa provar.

Sidney Caetano Filho.

Nenhum comentário: