sábado, 25 de abril de 2009

"Saudades Do Primário"

Fardados tapados,embebecidos por uma música todo dia cantada.
Inocentes iguais, cantavam o sagrado hino.
Poderiam declama lo com todas as suas palavras,
por nenhum deles usadas,
decoradas por todos, desconhecidas da maioria.
Emocionados olhavam subir em cores fortes um
símbolo de pano com um lema,cuja palavra “Ordem”não parecia
significar organizar, mas obedecer sem questionar!
Sidney Caetano Filho!

domingo, 19 de abril de 2009

sábado, 18 de abril de 2009

“Rock a inspirar”

Expirar,inspirar,respirar!
Respiro o “ROCK”, que em transe me inspiro em insanidades que escrevo!
Expiro palavras em zero glota que é pra alguém inspirar, ou espirrar.
Já não sei quando sou música ou dança.
Sou puro rock!
Sei que quero ser total domínio a deixar me dominar!
Respiração em ritmo da dança que a musica me leva,natural,
sem coreografia,puro inspirar.
Expirando expressões de quem não quer falar,
só cumprir o complexo ato de respirar!
Sidney Caetano Filho.

domingo, 12 de abril de 2009

"Anatomia"

Em mesa fria,tento descobri em fatias,vestígios de um tal amor,
mesa em sangue corada,finas fatias de coração numa sala de anatomia!
Uma lavagem a seco,em choque,lobotomia,
encéfalo perfeito para ser novamente usado!
Um ser vivo,ou quase,pronto pra ser manipulado.
E esta nossa maravilhosa "democracia",marca de um bom detergente,
que nos da o direito de escolher coisa alguma.
Ilusionismo,que nos mostra as mãos,
preenchendo vazio desta assepsia !
Partidos em busca do poder ditador de quatro anos,
que são donos dos mandatos de quem escolhemos,
dentre aqueles por eles escolhidos.
Não pode nestes existir amor pátrio,
para eles um trapo pintado que nos postamos!
Quantos lemas mais virão como cortina para nosso manuseio?
Brasil,ame ou deixe o!
Acho que estou falando de um passado,ou não?
Cães com correntes arroxadas,saltitantes quando delas libertos,
abanam o rabo dentro do quintal de muros altos.
Amor,não encontrarei nestes,
ainda que lhes esfarele
os corações!
Sidney Caetano Filho

sábado, 11 de abril de 2009

Soberba verdades!

Há muitos anos estive aqui!
Um lugar tão longe de ti ,que até mesmo sua imaginação não chegaria.
Mas qual de vós ousaria?...sei que muitos!
Trazendo com eles um trapo,buscando um lugar para tomar posse.
Em busca talvez de um epitáfio,”Não há coisa alguma aqui idiota.”
Já sabias quando aqui quis vir,viajo ati em grande velocidade,
sou apenas o brilho de algo que não existe mais.
Sou o brilho de uma estrela morta!
Verás meu brilho,até que o seu se apague!
Sidney Caetano Filho

domingo, 5 de abril de 2009

“POR INTEIRO!”

De aparência rastejante vai evoluindo!
Quer se ver alem do infiel espelho,
que não te mostra as costas com a perfeição
que sua mentirosa face.
Quer apresentar aos que ama,seu monstro!
Olhando seus olhos,
nos seus altos,o que com palavras não conseguir,
mas não terais o prazer de toca los. Não quer
que o contato com seus calos e cicatrizes os incomode,
não os beijará, para que tamanho asco,não lhes cause vómito.
Quer se mostra além do casulo,o quanto é!
Se no eclodir do mesmo, lhes aparecer algo mais feio que o próprio,
só a verdade de seus conceitos será vista!
Ou mentira,que importa?
Dentro do casulo,há ainda uma larva.
Uma larva que ama não quer se mostra
sem que saibam seu passado.
Seria mais fácil ser amada borboleta.
Mas quer amor por inteiro,
lagarta,larva e seu provisório casulo.
Melhores faces de uma borboleta!
Sidney Caetano Filho.

sábado, 4 de abril de 2009

"COMO NA LENDA , A VERDADE"

Perdi a fé no bandido,perdi a fé na policia ,
Perdi a fé no cachorro,perdi a fé na melhor amizade,
perdi a fé nos insetos e nos inseticidas,
como recomeçar se perdi a fé no começo?
Perdi a fé no fim,perdi a fé na natureza ,
perdi a fé no artificial,perdi a fé nas pessoas!
Perdi a fé no homem e na mulher, perdi a fé na fome e na fartura,
perdi a fé no amor e no ódio, perdi a fé na vida e na morte,
perdi a fé em mim. Continuei,mas sem fé em tudo abaixo de Deus,
Então esperança , como a “lenda da fênix”
reapareço das cinzas pela “Verdade”.
Não perdi a fé no mais importante,
sua luz clareia os atalhos escuros que por
preguiça percorri . E o que perdi foi a inocência ,
talvez consiga ver o humano no bandido.
Entender porque fui mordido por meu melhor amigo o cão,
acreditar na razão dos insetos e na necessidade inseticidas,
acreditar na natureza e no fim natural.
Acreditar na morte de muitos , ter fé na vida,
pra ter e ver as imperfeições de tudo,observando me
em primeiro lugar. A vida vem com a luz de esperança
e com essa luz recupero a fé em mim.
Senhor,se um dia minha memoria se for,
que eu esqueça meus maiores amores,
e toda minha historia,e ainda que sem referência,
tendo esquecido meu próprio nome,
te ame milhões de vezes mais,
me de senhor o privilégio de jamais esquece-lo.
E mesmo parecendo absolutamente louco,
e sem saber qual motivo,mas com toda fé
na razão de assim fazer,de minha alma
contente agradeça, Muito obrigado
por tudo,qualquer que seja este tudo.
MUITO OBRIGADO!
Sidney Caetano Filho