quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

“DA Janela” de Clara ao Instinto Poético de Lu”.

Da janela de “Clara”,uma luz clareia “Um querer”,quase utopia,eu o descrevi,puro amor.
Achei que embora também o querendo,não poderia ser mais que um sonho,de muitos,
mais tão somente um sonho.
Mas a luz que Clara ilumina,são possibilidades de amores correspondido,com sorrisos,cordialidade entre desconhecidos,amigos,uma aura sobre todos.
Guiado por tamanha claridade,encontrei um portal,na soleira um tapete que não ousaria pisar,
me convidou a faze lo,numa humildade em que “LU”o tecera. Parece que ouço a me guiar casa a dentro,suas mãos estendidas exalando um perfume,só encontrado em quem as tem para servi tal “Amor”,em seus textos,jóias garimpadas,ou em “Lu”, fonte natural do próprio. A luz do querer de “Clara, Clarinha”,que ama assim,ao “Instinto poético de LU”,
vejo uma ponte de duas mãos,onde a luz de “Lu”,encontra com as cores de “Clara”,
um “arco iris” de Amor,visualizado tão somente por quem carrega em si a luz do querer,mas explode,e o vento que pode vir,que o espalhe pelo ar,suave como o é,
partículas serão inaladas por muitos, que verão “ascender”
sobre suas cabeças, uma luz maior, a luz do amor.
Sidney Caetano Filho

2 comentários:

Lu Nogfer disse...

Puxa!excesso de emoçao,ausencia de palavras!
Apenas uma coisa posso dizer:Qdo estamos abertos para a vida,esta nos coloca diante de pessoas tao sensíveis que sao capazes de enxergar com os olhos da alma...Lindo d+!!!
Muitíssimo obrigada poeta amigo.bjs

Clarinhaaa disse...

éééé...
precisa falar alguma coisa!?
éééé...
como pode um Ser assim como vc?
éééé...
nada a declarar!!!

rs

adoro isso!!!
beijos